Publicado em 6 de maio de 2015 Pelo Mundo Pelo Mundo: CAPE TOWN

Ao contrário do que muitos pensam, a África DO SUL não é só miséria, pobreza e fome. Não estou dizendo que lá também não tenha, tem sim, mas bem menos que no Brasil, por exemplo. A África do Sul é um país superdesenvolvido, bem preservado, com transporte público de qualidade, ruas limpas e seguras. Minha experiência lá foi muito boa, fui muito bem recebida por TODOS e a escola ajudou muito também na parte da integração. Fui com 17 anos, então fiquei com uma Host Family que cuidou de mim com todo amor e carinho. Pelas manhãs, estudava inglês na escola Good Hope Studies, que também só tenho o que elogiar. Fiquei muito satisfeita com tudo, além de ter superado minhas expectativas.

1002314_558493627567996_971904673_n

Cape Town (Cidade do Cabo) é uma cidade super eclética. Oferece vinícolas, montanhas, praias, jardins, festas, passeios históricos, esportes radicais, safáris, trabalhos voluntários, cursos preparatórios de inglês, além de uma cultura totalmente diferente. Muitos a comparam com o Rio de Janeiro, e sim, há uma semelhança, mas Cape Town realmente me conquistou em todos os aspectos.

1521628_606834896020330_1617300015_n

Passei 3 meses em Cape Town, o que foi suficiente para conhecer cada canto como a palma da minha mão e sair de lá completamente apaixonada. A cidade fica no sul do país, na província de Western Cape, e tem uma população aproximada de 3,5 milhões de habitantes. Se interessou? Então vem conhecer os principais pontos turísticos:

31472_10201493710288249_1587280374_n

– Table Mountain e Lion’s Head

Um dos principais pontos é a Table Mountain (Montanha da Mesa) – conhecida assim pelo seu formato e por quando coberta por nuvens, assemelhar-se a uma mesa coberta – a montanha é incrivelmente grande. Eleita uma das 7 maravilhas do mundo, pode ser vista de diversas partes da cidade. Com cerca de mais de mil metros de altura, você pode subir de bondinho ou, escalando – sim, tem quem suba à pé e demora cerca de 4 a 8 horas – os ingressos do bondinho custam cerca de 40 reais ida e volta. O chato é que se o dia estiver nublado, uma sirene de segurança toca e todos são obrigados a descer de lá. A Table Mountain é tão grande, que devo ter tirado umas 1.000 fotos só lá, cada lugar era uma vista diferente. Vale lembrar que mesmo no verão, lá em cima venta muito e faz frio, então vão preparados porque passei por um aperto danado!
Em frente a Table Mountain, sua filha, a Lion’s Head, uma outra montanha, que vale muito a pena ser encarada. Sim, encarada, pois nela não existe a opção “bondinho”, é na raça mesmo. Demorei cerca de 2 horas subindo, mas valeu cada músculo dolorido. A vista é espetacular. Indico que vão para o pôr-do-sol ou em lua cheia. A Table tem lojinhas e lanchonetes, já a Lion’s é totalmente natural, sem nenhuma interferência humana, ou seja, leve sua água e sua comida.

IMG_7273

IMG_9314

– Waterfront

Alfred & Victoria Waterfront, mais conhecido como Waterfront, é difícil de se explicar. Considero um píer com shopping, hotel, oceanário, restaurantes a beira do mar, feirinhas, shows, playground, roda gigante, entre outros. Foi construído inicialmente para proteger os navios do forte vento do inverno em 1860 por Alfred, filho da Rainha Victoria. Porém, foi abandonado em 1960, remodelaram-no em 1988 e hoje é um dos principais pontos turísticos de Cape Town. Lá é possível realizar passeios de barco, lancha, mergulhos, vista do alto da roda-gigante, comprar, comer, ir ao cinema, ir ao Two Oceans Aquarium (oceanario que conta com uma variedade enorme de peixes, tubarões, golfinhos, pinguins, arraias, focas, tartarugas e ainda há a opção de mergulho com tubarões).

África

– Robben Island

Considerada monumento e patrimônio histórico mundial, a Robben Island é uma ilha, que na época do Apartheid, serviu de isolamento e aprisionamento por mais de 400 anos para diversos negros, incluindo Nelson Mandela – ex-presidente e ídolo dos sul-africanos. Mandela (ou como é carinhosamente chamado, Madiba) passou 18 anos de sua vida nessa ilha por conta de sua luta contra o racismo. A visita é feita de barco, os ingressos ficam à venda no Waterfront e os barcos saem de lá também. O clima lá é pesado, e o passeio conta com um ônibus e um guia e ficamos cara a cara com a sela em que Mandela ficou por 18 anos sozinho.

1507656_613476095366582_1856642192_n

–  Muizenberg Beach (conhecida por suas casinhas coloridas)

A praia de Muizenberg fica mais afastada do centro. No subúrbio da cidade, um dos cartões postais de Cape Town são suas casinhas coloridas em frente ao mar. Ali, além de uma vista das montanhas, e um metrô em frente à praia, foi feita uma piscina artificial dentro do mar, onde crianças podem brincar tranquilamente. Também conta com um calçadão agradável, com várias opções de lanchonetes, restaurantes e lojas. Alguns surfistas vão lá também.

1514273_10203193598907130_1515232373_n

– Cape Point, Cape of Good Hope (Cabo da Boa Esperança ou “Cabo das Tormentas”) e Boulder’s Beach.

O Cape Point fica no alto do Cape of Good Hope. Você pode subir a pé para ver o Cape of Good Hope de cima, uma linda vista do farol. O ponto de encontro dos dois Oceanos, o Oceano Índico e o Atlântico. Foi descoberto em 1488 por Bartolomeu Dias, que, a partir de violentas tempestades (tormentas, como se chamava na época), nomeou-o de Cabo das Tormentas. Quando o rei de Portugal, João II soube da notícia, mudou o nome pois, ao ser dobrado, mostrava a ligação entre os dois oceanos, o que na época, possibilitaria a tão desejada chegada à Índia. Chamou-lhe então, de Cabo da Boa Esperança (o mais utilizado hoje em dia), onde se encontra o Cape Point. É um ponto muito famoso e que não pode ser esquecido. Próximo a ele, está a Boulder’s Beach (ou praia dos pinguins), uma praia onde moram centenas de pinguins devido a temperatura fria da água. Há um passeio pago, em que você vê os pinguins de perto mas não é permitida a entrada na praia. A outra opção, é pagar para entrar na parte da praia liberada para banho e ir atrás de um pinguim perdido. Mas cuidado, eles bicam e podem ser agressivos.
1476571_10201226179560148_1857058078_n

1468705_10201225399940658_1627617214_nTive a infeliz (ou feliz) oportunidade de presenciar um momento histórico na África do Sul – a morte de Nelson Mandela. Sim, eu estava lá quando ele faleceu, e não me entendam mal, não fico feliz por ele ter morrido, mas feliz e honrada por ter presenciado esse momento que foi realmente muito bonito de se ver ao vivo e a cores. Os sul africanos idolatram Madiba, ele era como um pai para todos, o herói deles. Estive presente no Cape Town Stadium para homenagem oficial a esse grande homem que mudou a história. Foi arrepiante e único, só quem convive com essa realidade compreende seu significado. Obrigada por terem tocado meu coração, Madiba, África, sul-africanos e amigos de diversas nacionalidades que fiz pelo caminho.

1505631_10201578675452325_1331730259_n
OUTRAS DICAS:
+ Vinícolas com degustações também de queijos e chocolates: Stellenbosch, Franschhoek, Steenberg, Constantia;
+ Praias: Clifton e Camps Bay (as mais lindas praias);
+ Bo-Kaap (bairro muçulmano com casas lindas coloridas) + Long Street (bairro badalado);
+ Jardim Botânico de Kirstenbosch;
+ Old Biscuit Mill (mercado com variedades da culinária local);
+ Trabalho voluntário com animais (sáfari) ou crianças;
+ Bung jump, mergulho com tubarões ou golfinhos, skydiving.

1508127_10201493370839763_181233384_nI Miss you, Africa…

Já conhece Cape Town? O que acharam das dicas? Se quiserem, deixem um comentário abaixo, com dúvidas ou opiniões! Qualquer dúvida, ficarei feliz em poder ajudar.

Espero ter ajudado.
Beijos e até a próxima,

Érica Kolbe